24 mar

Formas comuns de tratamento para apendicite

A apendicite é considerada uma doença cirúrgica. Devido ao seu caráter severo, o tratamento para apendicite geralmente envolve intervenção cirúrgica. A julgar pela velocidade do desenvolvimento e pela gravidade da doença, a apendicite pode ser aguda ou crônica. A apendicite aguda evolui muito rapidamente e pode levar a complicações. A apendicite crônica é menos grave e mais lenta para se desenvolver. Embora existam outras opções, o tratamento mais seguro para a apendicite é considerado cirurgia. 

Conheca Clinipam Jaragua do Sul
A apendicite ocorre devido a infecção bacteriana e obstrução do apêndice vermiforme, uma extensão em forma de tubo do intestino grosso (cólon). O apêndice é geralmente bloqueado por cálculo ou fezes, causando inchaço. No entanto, em alguns casos, o aumento dos linfonodos é responsável pela atividade inadequada do apêndice. Devido à infecção bacteriana (também muito comum na apendicite), os gânglios linfáticos começam a inchar e a pressionar contra as paredes do apêndice, causando o bloqueio. A circulação sanguínea local também é perturbada, causando a morte do apêndice. O inchaço do apêndice e as infecções bacterianas podem levar a complicações graves, como gangrena, sepse e perfuração do apêndice. A melhor opção disponível no tratamento da apendicite quando confrontado com um apêndice seriamente danificado é removê-lo cirurgicamente do corpo. O apêndice não tem um papel vital dentro do organismo e sua ausência não afeta a atividade normal do corpo.