31 mar

Existem quatro situações possíveis. Imagine um paciente se contorcendo com dor insuportável.

. A vida do paciente não corre risco se não for medicada com analgésicos (ela corre o risco de morrer se for medicada) 

2. A vida do paciente não corre risco, de qualquer forma, medicada ou não 

3. A vida do paciente está em risco de qualquer maneira, medicada ou não 

4. A vida da paciente está em risco se ela não for medicada com analgésicos 

Nos quatro casos, as decisões tomadas pelo médico são eticamente claras. Ele deve administrar medicamentos para aliviar a dor, exceto quando o paciente corre o risco de morrer (em 1 acima). O (possível) encurtamento da vida do paciente (que, na melhor das hipóteses, é adivinhação) é imaterial. 

Conclusões: 

É fácil distinguir a eutanásia de todas as outras formas de término da vida. A eutanásia ativa voluntária é moralmente defensável, pelo menos em princípio (veja abaixo). Não são outros tipos de eutanásia. 

II Quem é ou deve estar sujeito à eutanásia? O Problema do Dualismo vs. Reducionismo 

Com exceção dos ativistas radicais dos direitos dos animais, a maioria dos filósofos e leigos considera que as pessoas – seres humanos – têm direito a "tratamento especial", posse de direitos únicos (e obrigações proporcionais) e capacidade de feitos sem paralelo em outros espécies. Contrate Clinipam Blumenau Sc